The Daily: Primeiras impressões sobre o primeiro jornal exclusivo para iPad

Hoje foi lançada na App Store a applicação The Daily, uma publicação estilo jornal, mas exclusiva, pelo menos por enquanto, para o iPad.

Instalei para testar e gostaria de compartilhar com vocês minhas primeiras impressões.

Pra começar, a idéia de ter uma publicação de conteúdo acorrentada exclusivamente a uma plataforma específica não me parece de grande genialidade. Mas, obviamente, com a atenção que o iPad tem tido desde o seu lançamento e com a grande quantidade de vendas do aparelho, seria até estranho que ninguém aproveitasse essa oportunidade. Hype vende, todos sabemos.

Abrindo o The Daily pela primeira vez

A primeira coisa que você vê quando abre o The Daily, após o download inicial do conteúdo, é uma tela com imagens dispostas num estilo “carrossel”, com destaque principal, obviamente, para a capa da edição do dia. O efeito é bonito e parece interessante até o momento em que você interage com a interface. Você precisa de grande destreza para conseguir parar em uma página específica nesse carrossel. Primeiro porque ele engasga e segundo porque qualquer toque faz com que mais de uma página passe e você tenha que ficar ajustando, com todo cuidado do mundo.

Enquanto você vai navegando, o restante do conteúdo é baixado. Durante esse período dá pra perdoar os engasgos na interface, já que tem um processo de download rodando ao fundo. Você fica esperando que, após o download completo, a aplicação comece a se comportar como uma aplicação normal para iPad, ou seja, com transições suaves, precisas e ágeis. Mas não é bem assim que a coisa funciona.

Navegando pelo conteúdo

Após escolher uma das páginas para começar sua navegação, a matéria abre-se em tela cheia. Em algumas delas (nessa primeira edição, na reportagem de capa) há um ícone dizendo para você rotacionar o iPad para ver fotos sobre a matéria. Apenas bells and whistles, algo que me parece que vai ser bem recebido pelos usuários mais deslumbrados de iPad, mas completamente inútil no fim das contas. Principalmente em uma aplicação que parece precisar de um pouco mais de poder de processamento para funcionar direito. Poderiam ter deixado isso de fora.

A navegação pelas páginas de uma matéria se faz como em livros no kindle, deslizando o dedo pela tela para a direita ou para a esquerda. A experiência, no entanto, é péssima, já que as transições são tudo, menos suaves e, mais frequentemente do que se poderia esperar, a próxima página demora demorados segundos para aparecer.

Quando se faz uma aplicação que precisa rodar ao mesmo tempo em diversos dispositivos e plataformas, alguma perda de desempenho é aceitável. Quando a aplicação é feita exclusivamente para um único conjunto de hardware e software, não dá pra perdoar. O iPad oferece uma experiência de uso inegavelmente de alto nível e essa aplicação não faz jus ao aparelho. Teste e me diga se estou errado.

A experiência de navegação no The Daily é muito similar á de um celular symbian com touch screen resistiva ou de um celular android das primeiras versões. Mas, vai ver que a demora nas transições é pra dar aquela sensação de tentar virar a página de um jornal sem molhar o dedo, e ter que tentar de novo até conseguir. Alguns devem achar charmoso, vai saber…

Na primeira vez que naveguei pela matéria de capa, um áudio sobre a reportagem começou a tocar sem que eu tivesse feito nada (pelo menos não conscientemente) e não consegui achar uma maneira de pará-lo, a não ser sair da aplicação e voltar novamente. Deixou um gosto parecido com o daqueles sites feitos em frontpage há 10 anos atrás, com um MIDI tocando ao fundo. Lembram?

Há uma barra de progresso muito parecida com a do kindle na parte superior da tela, que mostra em que ponto da edição você está atualmente. Se você clicar (ok, tá mais pra “dedar” do que clicar, mas vamos usar clicar para simplificar a coisa) nessa barra, aparecem as páginas com uma boa diferenciação entre as lidas e as não lidas. Bem útil, de verdade.

Portanto, resumindo, sobre a navegação, não há nada que não pudesse ser feito com a mesmo visual e, com certeza, com menos engasgos, em um site usando HTML5 ou até mesmo xHTML com boas doses de JavaScript e algum Flash aqui e ali quando necessário. A experiência, no geral, é ruim, deixa muitíssimo a desejar, principalmente depois de todo o hype que foi feito em volta dessa aplicação.

A única vantagem da aplicação é a possibilidade de ler o conteúdo offline, o que pode ser interessante em alguns momentos, claro, mas não justifica o fato da publicação existir apenas como aplicação de iPad. Nada impediria o The Daily de ser um site normal e ter a app como um complemento apenas para leitura offline. Assim funcionaria em qualquer dispositivo, inclusive, claro, no iPad.

Mas o hype faz com que valha a pena fazer essa palhaçada toda em volta de uma mera aplicação de conteúdo. Como eu já disse, o hype vende, e dessa vez não deve ser diferente. Muita gente deve comprar esse negócio apenas pela “inovação”

O conteúdo em si

Não tive tempo de ler muito do conteúdo da primeira edição, mas parece ser de boa qualidade e o que consegui ler não deixou a desejar. Mas é aquilo que já temos em todo lugar: texto, imagens, vídeos, áudio, animações. Nada demais quando se está em 2011.

Integração com redes sociais

Tem. Mas, hoje em dia, quem não tem? Você clica, compartilha, vai um link pra uma versão web da matéria. Normal.

Vai pegar?

Bom, eu costumo funcionar como um bom termômetro ao contrário. Como eu não gostei da aplicação, não achei nada demais, é bem provável que todos gostem muito e seja um sucesso estrondoso.

Não tem nada de inovador, apenas é a primeira publicação a restringir seu uso apenas ao iPad. No mais é só uma aplicação de conteúdo, tão ruim (ou tão boa, dependendo do seu ponto de vista) como, por exemplo, a wired pra iPad ou similares.

Eu, sinceramente, gostaria que não pegasse, mas não posso fazer nada… seja como for, não ganho nem perco nada com isso, já que não tem nenhuma oportunidade de negócio aparente pra mim dentro do The Daily e também não vou gastar nem um centavo com ele.

Vale a pena instalar?

Por enquanto a aplicação está de graça por sete dias. Nesse período eu diria que vale a pena sim, pelo menos pra testar. E, seja como for, é conteúdo de qualidade de graça, por que não?

Quando começar a ser pago, não vejo muito porque manter instalado. Conteúdo como o que tem no The Daily há aos montes de graça pela web. A não ser que você queira pagar pela possibilidade de ler offline, caia fora dessa.

Agora, o valor não vai ser alto. Serão 99 cents por semana. Mas, mesmo sendo um valor bem baixo, não vale a pena, porque, como já disse, conteúdo de qualidade temos aos montes por aí de graça.

Resumindo e concluindo

A aplicação engasga. As transições são tudo menos suaves, nem parece que você está usando um iPad. O conteúdo é bom, mas nada extraordinário para valer a pena meter a mão no bolso. Se você deixar o iPad em casa não vai poder continuar a leitura no seu celular ou no seu notebook. Vai provavelmente encher mais ainda os bolsos do Murdoch e do Jobs e, para nós, pobres mortais, não vai fazer a menor diferença.

Resumindo em uma palavra: Meh.

Deixe seu comentário


  • Fatal error: Call to undefined function challenge_form() in /var/www/html/brunotorres.net/web/wp-content/themes/bt2008_wide/comments.php on line 65