Dívida com as Casas Bahia? Veja aqui como negociar e quitar dividas nas Casas Bahia

O público-alvo da Casas Bahia (a saber, as classes C, D e E) é muito cuidadoso com as prestações com as quais se compromete. Contudo, diversos fatores podem causar inadimplência momentânea: desemprego, descontrole orçamentário, emergências familiares. Para que se resolvam estas insolvências é preciso saber quais são os direitos e deveres contemplados em uma negociação de dívidas pendentes e qual o papel a ser desempenhado tanto pelo consumidor quanto pela Casas Bahia.

Informação rápida sobre negociação de dívidas com as Casas Bahia

Para você que não quer ler o texto até o fim, o básico para se negociar uma dívida com as Casas Bahia, seja de que natureza for, é:

  • Ligue para a Central de Recuperação de Crédito das Casas Bahia, no tel. 0800 889 1234
  • Procure a loja onde foi feita a compra e converse com o gerente ou com algém do setor responsável por recuperação de crédito
  • Não adianta tentar negociar pela internet. Não há, hoje, canal disponível online para esse fim

O que diz o Código Brasileiro do Consumidor?

No capítulo V, seção V, nos artigos 42 e 42-A do Código do Consumidor, está expresso: o devedor não poderá ser exposto ao ridículo, nem sofrer constrangimento ou ameaça. Usando a Casas Bahia como exemplo, ela pode negativar o nome dos clientes inadimplentes em bancos de dados cadastrais como o SPC (Serviço de Proteção ao Crédito) e Serasa, mas terá que avisar o insolvente com antecedência e de forma particular.

Como a Casas Bahia lida com a inadimplência?

Por ser focada nas classes sociais mais vulneráveis aos reveses econômicos, a Casas Bahia mantém um canal aberto com quem, por motivos diversos, não consegue saldar seus compromissos financeiros. Vamos enumerá-los.

Como negociar dívidas em crediário com carnê Casas Bahia

A primeira providência do insolvente é procurar a loja credora e conversar com o gerente ou o setor responsável por recuperação de crédito. Embora haja a possibilidade de uma conversa prévia através da Central de Recuperação de Crédito (0800 889 1234), no caso específico do crédito direto via carnê o ideal é uma conversa pessoal com os funcionários responsáveis na unidade. Novos prazos podem ser conseguidos e até uma revisão de valores e taxa de juros podem ser negociadas. Não é interessante à rede Casas Bahia deixar um potencial futuro consumidor longe das compras a crédito por muito tempo, e a fidelização de um cliente também passa pela facilidade de negociação em momentos delicados como uma insolvência sazonal.

Como negociar dívidas com o cartão Casas Bahia

Cartões de crédito são um assunto monetariamente mais delicado. Os juros são muito mais altos do que os praticados pelo CDC (Crédito Direto ao Consumidor) e atrasos no pagamento de faturas podem transformar-se em bolas de neve. Nestes casos, o melhor é negociar através do telefone da Central de Recuperação.

Resista à tentação de pagar apenas o valor mínimo da fatura. Além de alongar a dívida, o valor é referente apenas aos juros e não ao valor da dívida em si. Prefira ligar para o 0800 acima citado e negociar o débito todo em parcelas fixas. Juro, ao contrário do que imagina a maioria dos devedores, é um fator cem por cento negociável. Basta que haja bom senso entre as partes.

Fazer um empréstimo para quitar uma dívida é um bom negócio?

Vamos por partes. No caso dos carnês, cujas taxas de juros são menores, uma renegociação de valores brutos parcelados é a melhor opção. O gerente e/ou a Central de Recuperação de Crédito irão analisar o caso específico do cliente e estão preparados para receber contrapropostas. Lembrando: manter um cliente sem crédito não é uma opção aceitável para a Casas Bahia.

No caso dos cartões, é preciso verificar se a taxa de um empréstimo é menor do que a taxa cobrada pelos cartões. Se o cliente tiver acesso a alguma modalidade de empréstimo consignado, que costuma ter taxas de juros menores, e o valor a ser emprestado for o suficiente para quitar a dívida À VISTA, a alternativa é válida. Caso contrário, renegocie com o atendente do 0800 um valor que possa ser parcelado nas faturas a serem enviadas. Uma dívida só pode ser trocada pela outra se não onerar o orçamento – especialistas recomendam reservar cerca de 30% do salário para este tipo de endividamento.

Um exemplo prático de renegociação

Em Setembro de 2009, a Casas Bahia deu início a uma campanha que visou reabilitar o crédito de pelo menos um milhão de clientes em situação inadimplente há mais de 180 dias. Todos estes clientes receberam um convite para renegociar as pendências via Correio assinado pelo presidente da empresa, Samuel Klein. E um convite tentador: a dívida poderia sofrer abatimento de 50% do seu valor, mais isenção total dos juros e parcelamento do saldo devedor. A campanha, encerrada no início de 2010, teve como objetivo reabilitar um mínimo de 20 por cento de clientes insolventes sem a necessidade de protestos e intervenções externas de entidades como o PROCON e semelhantes.

Deixe seu comentário