Casas Bahia: história, números, faturamento, produtos e ofertas

Casas Bahia é uma rede de varejo brasileira especializada em móveis e eletrodomésticos, focada principalmente nas classes C, D e E. O principal apelo da rede para atrair esse público específico é a possibilidade de parcelamento das compras em inúmeras parcelas de baixo valor, possibilitando a compra de bens que, de outra forma, não poderiam ser adquiridos por esse público de baixo poder aquisitivo.

Breve história

Samuel Klein, polonês de nascimento, veio ao Brasil em 1952 acompanhado de mulher e do filho após uma passagem rápida pela Bolívia. Aqui chegando, estabeleceu morada na cidade de São Caetano do Sul (SP). Carpinteiro de formação e comerciante nato, Samuel Klein logo vislumbrou o potencial de mercado da região do ABC paulista, graças às indústrias automobilísticas que se instalaram e à grande migração de trabalhadores vinda do Nordeste brasileiro.

Logo e mascote

O logo e o famoso mascote das Casas Bahia

Com o dinheiro que havia trazido da Europa, cerca de US$ 6 mil, Samuel Klein comprou sua casa e uma charrete. A charrete foi utilizada em sua nova função: mascate. Graças a um comerciante que ele conheceu e com quem fez amizade, Samuel conseguiu bom trânsito entre os comerciantes do bairro do Bom Retiro (na época um reduto dos imigrantes judeus e árabes) e lá conseguiu, além de produtos de cama, mesa e banho, uma carteira com 200 clientes.

Em São Caetano, Samuel Klein começou seu árduo trabalho de venda de porta em porta. Seu principal diferencial era a venda parcelada com lucros de até 100 por cento em cima do preço inicial. Os principais clientes de Samuel Klein eram migrantes oriundos do Nordeste, principalmente da Bahia.

Cinco anos depois, em 1957, Samuel Klein comprou sua primeira loja no centro de São Caetano, localizada na avenida Conde Francisco Matarazzo, número 567. Como forma de homenagem a sua clientela nordestina, o estabelecimento recebeu o nome Casa Bahia. Os clientes do outrora mascate rapidamente aderiram ao espaço físico da loja, que ampliou sua gama de produtos disponíveis, principalmente móveis e colchões.

Mesmo com o sucesso da loja e sua expansão — as primeiras filiais foram abertas na região do ABC, nas cidades de Santo André e Mauá — Samuel Klein não abandonou a venda de porta em porta, que continuou, desta vez com uma frota que chegou a 80 peruas, até 1970. Neste ano, a Casas Bahia obteve o controle acionário da financeira Intervest com o intuito de melhorar o sistema de financiamento direto ao consumidor, além de abrir sua primeira filial na cidade de São Paulo, no bairro de Pinheiros.

A expansão da agora rede de lojas entrou numa crescente a partir daí. Com a aquisição de outras empresas do setor, como as lojas Piratininga, Ultralar, Modelar e Garson e as redes Columbia, Tamakavy (que pertencia ao grupo SS) e Domus, a Casas Bahia chegou à 100ª loja na década de 1980, ano do início do trabalhos dos filhos de Samuel Klein, Michael e Saul.

A expansão da rede explodiu na década de 1990, quando expandiu aos estados de Minas Gerais, Paraná, Mato Grosso do Sul e Santa Catarina. Em 1996 foi inaugurado o Centro de Distribuição em Jundiaí, o maior da América Latina e o segundo maior do mundo. Já nos anos 2000, foram abertas unidades em Goiás, no Distrito Federal e no Rio Grande do Sul.

A aquisição pelo Grupo Pão de Açúcar

No início de Julho de 2010 o grupo Pão de Açúcar anunciou a aquisição da rede Casas Bahia, após meses de tensas negociações. A família Klein não estava satisfeita com os valores iniciais, sentindo-se prejudicada e subavaliada. Mas as negociações tomaram a forma atual após longas rodadas de conversas.

Samuel Klein e Abilio Diniz

Samuel Klein e Abilio Diniz na aprovação do acordo de venda das Casas Bahia para o Grupo Pão de Açucar. Foto: Época Negócios

Pelo acordo, a Casas Bahia e 25% do grupo Bartira (fabricante de móveis que pertence à família Klein) irão formar uma nova companhia de varejo em conjunto com a Globex, dona da bandeira Ponto Frio. O valor depositado pelo Pão de Açúcar para concretização desta união é de R$ 689,8 milhões mais R$ 140 milhões anuais pelo período de três anos, referentes a aluguel das lojas e centros de distribuição.
Graças a esta fusão, que será implementada em Novembro, o Grupo Pão de Açúcar ultrapassou o Carrefour na liderança do setor de vendas no varejo.

Atualmente a empresa conta com 565 lojas no país e uma carteira de clientes de aproximadamente 29 milhões de consumidores.

Números e dados diversos

A Casas Bahia é uma rede de lojas voltada para a venda de móveis e eletrodomésticos no varejo com foco nas classes C, D e E. Por ser voltada a este importante nicho de mercado, sua política é vender seus produtos oferecendo prioritariamente o parcelamento “ a perder de vista”, com prazos que variam de 10 a 24 meses. Se por um lado este parcelamento faz com que o produto tenha em seu preço final até 100% de juros (e essa é uma das principais fontes de lucros da rede), por outro permite que pessoas que não podem pagar o preço à vista de um produto adquiri-lo graças às parcelas geralmente acessíveis.

Uma das estratégias de marketing mais copiadas por outras redes foi “criada” por Samuel Klein: colocar o caixa nos fundos da loja, fazendo o consumidor passar por todos os produtos, estimulando a chamada “compra na boca do caixa”. Há um estímulo ao cliente para que ele consuma mesmo quando está pagando um carnê.

Os números são superlativos, quaisquer que sejam os índices mensurados:

  • O faturamento do ano de 2009 foi de R$ 13 bilhões, um recorde. Neste ano serão computados os dados referentes à fusão com o Ponto Frio e há a expectativa que este faturamento chegue a R$ 40 bilhões.
  • Há 57.500 funcionários em toda rede, sendo que 16.800 são vendedores.
  • A loja com maior faturamento da rede localiza-se em São Paulo (SP). É a unidade da praça Ramos de Azevedo, com média de R$ 7 milhões anuais.
  • A rede tem uma frota de caminhões própria constituída de 2.254 unidades.
  • Mesmo com a criação do cartão de crédito Casas Bahia, administrado pelo Bradesco, metade das vendas à prazo ainda é feita com carnê; o cartão é responsável por 40% das vendas parceladas.
  • É o maior anunciante brasileiro. Segundo levantamento do Ibope Monitor, em 2009 a rede investiu R$ 3,06 bilhões em publicidade. A agência de publicidade Young & Rubicam é a responsável pelos anúncios e mantém uma equipe à disposição da Casas Bahia sete dias por semana.

Produtos

Interior de uma loja das Casas Bahia

A Casas Bahia tem como principais produtos à venda móveis, eletrodomésticos e eletro-eletrônicos. Seus carros-chefe são os móveis, de produção própria – a rede de lojas controla a fábrica de móveis Bartira desde 1981 – colchões, celulares e televisores.
Recentemente começou a vender produtos de informática. Graças aos preços e aos prazos, ajudou a popularizar netbooks, computadores de mesa onboard e os chamados multifuncionais (impressora, scanner e copiadora). Marcas como Positivo, HP e Lenovo beneficiaram-se da estratégia de massificação de produtos de informática da rede.

Móveis Bartira

Fundada em 1962 e hoje controlada pelo Grupo Casas Bahia, a Bartira produz com exclusividade todos os móveis vendidos na rede. Com plantas nas cidades de São Caetano do Sul e Santo André e um centro de distribuição em Jundiaí, a Móveis Bartira conta com mais de 2000 funcionários que produzem mensalmente 100 mil dormitórios, 180 mil módulos de cozinha e 30 mil estantes e racks – média de 4 milhões de itens produzidos anualmente – utilizando cerca de 26 milhões de m² de chapas de madeira.

Veja outras páginas com informações relevantes sobre as Casas Bahia:

Deixe seu comentário