Assinar BrunoTorres.net

Faça uma assinatura de BrunoTorres.net por um ano e receba 4 meses de graça. Apenas 6x de…

Bom, claro que isso é brincadeira. Você não precisa pagar nada pra assinar o conteúdo deste blog. Nesta página vou explicar como você pode se inscrever para receber o conteúdo deste e de qualquer outro site que possua este serviço na hora que ele for atualizado, facilitando assim sua vida online.

Índice

  1. Como assim assinar?
  2. Tá, mas como isso funciona – uma breve explicação
  3. Arquivo de feeds RSS ou ATOM – o que são
  4. Agregadores ou leitores de feeds – ferramentas para receber conteúdo atualizado
    1. Agregadores desktop
    2. Agregadores Baseados em Web
  5. Tá bom, mas cadê os seus feeds? – feeds BrunoTorres.net
  6. E como eu me inscrevo?
  7. E qual eu escolho. RSS ou ATOM?
  8. E ainda tem mais… – feeds de outros sites, feitos por mim
  9. Mais sobre o assunto – leitura recomendada

Como assim assinar?

Quem já usa RSS e ATOM pode pular direto para os feeds. Para quem não sabe como isso funciona, vou tentar explicar o que são essas duas tecnologias.

RSS e atom são formas alternativas de acessar o conteúdo de um site ou blog.

Blogs e sites de notícia publicam conteúdo periódico, ou seja, são atualizados freqüentemente. Se você está acostumado a ler um determinado site ou blog, acaba sendo obrigado a visitá-lo periodicamente, tenha ele sido atualizado ou não.

Podemos comparar a assinatura do RSS ou ATOM de um blog como uma assinatura de uma revista. Ao assinar uma revista, você elimina o incômodo de ter que ir até a banca verificar se um novo exemplar já está disponível e comprá-lo.

Ou seja, a informação vem até você ao invés de você ter que ir até ela.

Tá, mas como isso funciona?

Diferente de uma assinatura de revista, você não precisa pagar para assinar um blog. 🙂

Sem entrar em detalhes técnicos, para assinar um blog você precisa de duas coisas: a URL (endereço) do arquivo de feed RSS ou ATOM do blog e um agregador ou leitor de feeds.

Vamos definir o que são essas duas coisas:

Arquivo de feeds RSS ou ATOM

Um feed RSS ou ATOM é um arquivo escrito em uma linguagem chamada XML, que é uma linguagem de descrição de informação. Ou seja, uma linguagem que usa códigos para marcar determinadas partes de um texto e informar de que se trata esta parte.

XML é uma linguagem que permite que sejam criadas outras linguagens (ou dialetos) baseadas nela. RSS e ATOM são dialetos do XML.

Estes arquivos RSS e ATOM contém uma versão resumida do conteúdo do blog. Ou seja, apenas aquilo pelo que você procura quando acessa periodicamente o blog: o conteúdo propriamente dito.

Bom, este texto não tem o intuito de fornecer detalhes técnicos sobre os formatos de feeds. Portanto, o que você precisa saber é que quando um site tiver um link nomeado como “RSS”, “ATOM” ou “XML” (geralmente em um ícone laranja ) isto significa que este link aponta para um arquivo de feed. O que você precisa fazer é copiar este link e usá-lo no seu agregador ou leitor de feeds, que vamos definir logo abaixo.

Agregadores ou leitores de feeds

Agregadores (vamos chamá-los apenas assim daqui em diante) são programas feitos para interpretar o conteúdo de um arquivo RSS ou ATOM. Eles funcionam mais ou menos da mesma forma que o navegador que você está usando agora para ler este texto. Lê o conteúdo de um arquivo cheio de códigos e apresenta este conteúdo em uma forma que você possa entender.

Usando um agregador para se inscrever em todos os sites que você costuma acessar periodicamente e que publicam algum feed poupa tempo e facilita sua vida, pois possibilita agrupar em apenas um lugar toda a informação que você deseja consumir na web.

Existem dois tipos de agregadores: desktop e baseados em web.

Agregadores desktop são programas comuns, que ficam instalados no seu computador. Você copia o endereço do feed e usa o comando “novo feed” ou algo similar do agregador para se inscrever no blog a que o feed pertence.

Já os agregadores baseados em web são basicamente sites que funcionam como se fossem um programa, uma aplicação. Você acessa o site do agregador e procede mais ou menos da mesma forma que procederia em um agregador desktop para se inscrever em determinado feed. A grande vantagem de usar um agregador baseado em web é que, como ele não está instalado no seu computador, você pode acessar seus feeds de qualquer lugar seja na faculdade, no trabalho, na casa de um amigo ou um cybercafé. Além de funcionar em qualquer sistema operacional que tenha um navegador web suficientemente moderno.

Agregadores desktop:

Bom, existem vários outros, mas acho que com estes já dá pra você se divertir bastante.

Agregadores Baseados em Web

Eu conheço apenas três agregadores baseados em web:

Dos três o único que eu já testei e o que uso atualmente e recomendo é o Bloglines.

[update] Testei o NewsGator esses dias e continuo gostando mais do Bloglines. O NewsGator é até legalzinho, mas no caso de agregadores, uma interface com frames é providencial. Rolar a tela pra ler o conteúdo de um feed e depois ter que rolar novamente para cima pra poder ver a lista de feeds é muito chato.

Bloglines é talvez o agregador online mais usado. Quase todas as pessoas que conheço o usam. Sua interface é bem fácil de usar, funciona muito bem e, o melhor, é grátis.

Se você leu até aqui e ainda não conseguiu entender muito bem como funciona esse negócio de feeds, sugiro que vá agora ao Bloglines, crie uma conta e comece a adicionar os sites de que gosta. Se quiser dicas de blogs para se inscrever você pode dar uma olhada na minha lista de feeds. De repente pode ter algo lá que te interesse.

Me prometa que vai criar a conta no Bloglines. Você não vai perder nada e vai me agradecer por te dar esta dica e ajudar a mudar sua vida online!

Tá bom, mas cadê os seus feeds?

Neste blog eu publico um feed RSS 2.0 com o conteúdo completo dos 15 posts mais recentes e um outro com os links dos artigos que leio, filmes que assisto, músicas que escuto e qualquer coisa que tenha me interessado por aí na web. Este último é gerado pelo del.icio.us:

E como eu me inscrevo?

A forma mais rudimentar de se inscrever em um desses feeds é copiar a URL (clique com o botão direito e escolha “copiar link”) e colá-la no diálogo de inscrição em seu agregador.

Mas existem formas mais simples e rápidas de se inscrever em feeds:

Se você usa Opera, note que na extrema direita da barra de endereços (ao lado da setinha pra baixo) aparece um botãozinho escrito “RSS”. Clicando nele abre-se um popup com os nomes dos feeds disponíveis te dando a opção de inscrever-se nele no agregador integrado ao browser. No caso de não querer usar o agregador integrado, use a forma rudimentar descrita acima.

Se você usa Firefox você também tem duas opções. Se você quiser usar o agregador integrado (Live Bookmarks) faça o seguinte: ao entrar em um site que contenha um ou mais feeds, note que na barra de status aparecerá um ícone laranja como esse . Clique nele e escolha na lista que se abrir em qual dos feeds deseja se cadastrar.

Ainda no firefox, se você optou por usar um outro leitor de feeds, instale a extensão LiveLines, configure-a para usar o agregador de sua preferência, e use o mesmo ícone descrito acima para se inscrever no feed desejado.

Se você usa Safari me diga quais são as formas de inscrição que ele provê e eu publico aqui. Como eu não tenho um Mac, não sei como ele funciona.

Se você usa Internet Explorer, troque de browser. 😉

E qual eu escolho. RSS ou ATOM?

Como eu disse, este texto não se propõe a explicar detalhes técnicos sobre os formatos de feeds.

Para o usuário, a versão do feed pouco importa, já que a informação é a mesma. Mas o ATOM é um formato mais interessante, que descreve a informação de maneira mais detalhada e espera-se que seja o formato usado mais largamente no futuro. Pode-se dizer que o RSS já teve sua morte decretada quando do lançamento do ATOM.

Portanto, quando mais de uma opção for oferecida, prefira o ATOM. Se o site publicar apenas feeds RSS, na minha humilde opinião, dê preferência ao RSS 1.0, depois ao RSS 2.0 e, apenas se não houver outra alternativa, use o RSS 0.9x.

Se você tentar se inscrever em um Feed ATOM e o seu agregador não aceitar ou apresentar a informação de forma estranha, tente baixar a versão mais nova do agregador ou mude para um que suporte ATOM.

E ainda tem mais…

Essa coisa toda de feeds não é nada novo. O RSS já está por aí desde 1999. Mas mesmo assim muitos sites ainda não acordaram para esta tecnologia e não publicam feeds de seus conteúdos.

Como eu sou assumidamente viciado em Feeds (e, acredite, você também vai se viciar) eu gasto um pouquinho do meu tempo criando feeds dos sites que gosto mas que ainda não possuem nenhum feed publicado.

Aqui vai uma lista dos feeds que eu criei até hoje. Fique a vontade para usá-los.

Todos os feeds a seguir são ATOM, exceto alguns que serão marcados como RSS:

Colunas O Globo

Mais sobre o assunto