A presença do Google em eventos de SEO é positiva?

É importante deixar claro que esse texto reflete a minha opinião, não a daquele cara que tá passando ali de blusa vermelha (tá vendo?) e muito menos a da empresa onde trabalho.

[update] Esse post acabou virando o tema principal do SearchCast dessa semana. O bicho pegou por lá. Confiram.

Ontem quase despretenciosamente iniciei uma discussão (como eu gosto disso) no twitter sobre o valor e os perigos de se convidar “googlers” (funcionários do google, você sabe) para eventos de SEO — ou eventos que, pelo menos parcialmente, falem sobre o assunto.

A discussão se estendeu por quase 30 tweets de diversos nomes, alguns bem importantes, do SEO brasileiro, como Flávio Raimundo, Fábio Ricotta, Cassiano Travarelli, Renata Tibiriçá, Miguel Dorneles e Pablo Almeida e acabou indo parar no fórum de ajuda do webmaster do Google (sim, na toca do lobo) e gerou mais discussão por lá.

Embora a opinião geral tenha sido contrária á minha, ainda assim acho que a discussão é válida e mantenho a minha opinião: no momento atual do mercado de SEO brasileiro, a presença dos googlers nos eventos não é positiva. Isso por diversos motivos que quero apresentar aqui para, quem sabe, gerar ainda mais discussão.

Mas antes de mostrar meus argumentos, faço um convite a você que está afim de me fazer mudar de opinião (e que, obviamente, não tem nada melhor pra fazer). Me mostre um exemplo, apenas um basta, onde a presença de um googler em um evento de SEO tenha sido realmente positiva. Pode ser qualquer evento, no Brasil, nos EUA, no Uzbequistão que seja, não importa.

Agora vamos ao que interessa.

O pessoal do google não traz informações importantes para os eventos

Anunciar que o caffeine foi ativado globalmente não vale como informação importante. Não pra mim. Isso eu poderia ler minutos depois em um post num blog oficial do google. E, além disso, que é um argumento besta, concordo, tem o fato de que essa informação não acrescenta nada ao conhecimento do profissional de SEO. Ele não vai sair do evento com uma idéia diferente na cabeça, com uma ação planejada ou algo do tipo por causa de um anúncio desses, por mais importante que seja.

Quando trazem informações importantes e, digamos, actionable, deixam um gosto amargo na boca, como quando o Matt Cutts anunciou que tudo que o google disse por anos sobre nofollow e PR Sculpting era mentira e que todo tempo e dinheiro gastos na implementação dessa técnica foi simplesmente jogado no lixo.

Outras vezes simplesmente usam aquele jeito evasivo (ou jeito google, como preferirem) de responder perguntas sem responder.

Isso pra mim não é positivo. Se eu pago para ir em um evento de alto nível, quero informações que ou sejam diretamente aplicáveis no meu dia-a-dia, ou que me façam enxergar um determinado tópico por um ângulo diferente, ou que me tragam insights para desenvolvimento de novas estratégias e táticas. O resto é desperdício do meu tempo e dinheiro.

Quem traz informações realmente úteis para eventos de SEO são aqueles caras que fazem SEO no dia-a-dia, que testam, que estudam, que botam a mão na massa. Por isso que o Pubcon é hoje o melhor evento de SEO do mundo (fora o fato de ser em Las Vegas, but I digress).

Falando nisso…

A presença de googlers inibe os palestrantes que planejam falar de assuntos mais avançados

SEO avançado quer dizer black hat? Não necessariamente. Mas já que toquei no assunto…

Black Hat não pode ser tabu. É algo que faz parte do conhecimento de SEO. É algo que precisa ser apresentado e discutido. Por dois motivos principais:

  1. Os black hatters são os profissionais de SEO que mais conhecem sobre o assunto. Ser um black hatter demanda muita experiência, muita atenção a detalhes, muito estudo de comportamentos dos buscadores, muito teste. Ouvir esses caras compartilhando suas experiências é de suma importância, mesmo para o mais white dos white hatters.
  2. Por mais que você não pretenda aplicar exatamente as técnicas apresentadas pelos black hatters, frequentemente vai conseguir aplicar parte do conhecimento usado em seu desenvolvimento para criar outras técnicas derivadas, totalmente white hat. Conhecimento de alto nível, quando compartilhado, sempre leva a boas idéias (e a idéias ruins também, mas isso é normal em qualquer cenário)

Dito isso, preciso apresentar outros dois pontos importantes sobre o assunto:

  • Entendo que, ao expor profissionais menos experientes a informações sobre back hat, corremos o risco de criar pequenos monstros que vão sair por aí querendo aplicar aquilo que supostamente aprenderam, atrás do tão sonhado — e fantasioso — dinheiro fácil. Mas eu vejo isso como um risco aceitável, porque esses caras ou não vão conseguir evoluir de acordo com o mercado e vão ser naturalmente eliminados pelo google ou então, no caso de se darem bem, muito provavelmente já fariam isso de qualquer jeito e, convenhamos, é trabalho do google lidar com isso, não nosso
  • Alguns tópicos devem ser realmente evitados, principalmente aqueles que exponham detalhes de operação e não conceitos em si. Cabe aos organizadores dos eventos filtrar os assuntos e lidar da melhor forma com a informação que será apresentada.
  • Fora black hat, outros assuntos podem deixar de ser discutidos simplesmente pelo medo dos palestrantes de alguém do google achar “pêlo em ovo” e causar problemas para seus próprios sites (dos palestrantes) ou de clientes.

    Em um mercado mais evoluído, pode ser que esses problemas deixem de existir. Mas aqui no Brasil, no cenário atual, dados os pontos acima, acredito que a presença dos nossos amigos googlers tem o potencial de diminuir consideravelmente a qualidade dos eventos de SEO.

    Espero que isso não aconteça com o Search Labs, que tem tudo pra ser o melhor evento de busca já realizado aqui no Brasil.

    E, pra finalizar, quero dizer, não pra ser político mas por ser verdade mesmo, que não estou sugerindo que o trabalho realizado pelo time search quality do google é ruim de qualquer forma. Acho o trabalho deles essencial e acredito ser fundamental para a qualidade dos resultados de busca do google. Só não acho que eles devam ir nos eventos, mas isso é uma outra história.

    E você, o que acha? Sei que não concorda comigo, geralmente ninguém concorda, estou acostumado. Seja qual for sua opinião, deixe aqui nos comentários. Acho que essa discussão é válida e pode ainda nos levar a discutir pontos muito mais importantes sobre esse nosso pequeno grande mercado.

13 Comentários sobre “A presença do Google em eventos de SEO é positiva?”

Faça um comentário

O que você ta dizendo é válido. Eu acho que você deveria pensar de uma maneira diferente. Por que não aproveitarmos o fato de um Googler vir para cá e bolarmos questões pertinentes ao ponto de conseguir informações válidas. Você pode dizer que é impossível, porém, isso acontece nos Estados Unidos. Lá fora, em smxadvanced da vida vemos uns caras como @graywolf travando batalhas épicas com Googler’s. Tem gente que vai lá só para ver os questionamentos de caras assim.
Agora, que de fato, alguns nomes top’s do search mundial deixam a desejar isso é certo. Vimos diversos desses grandes nomes no smx brasil fazendo apresentações mornas.

[‘]s


Zane, como disse, acho que a presença deles não é positiva dado o momento atual do nosso mercado. No futuro, com o amadurecimento do mercado, a coisa muda de figura, com certeza.


Bruno,

Concordo relativamente contigo, pois é inegável que alguns palestrantes podem ficar inibidos em apresentar determinadas técnicas de SEO.

Todavia, acredito que a presença de Googlers em eventos de Search fortalece comercialmente a nossa área, acho que empresários começam a nos olhar de forma diferente, principalmente para o SEO, quando veem que o Google acompanha as nossas atividades.


#4 | Pablo Almeida

Como disse ontem, concordo com você em partes… 😀

Espero sinceramente que os palestrantes não se intimidem… não fiz muita questão de participar do evento já que, ao meu ver, não acrescentaria informações de alto nível. Eu adoraria fazer algo diferente do que faço no Twitter, no meu blog, nas minhas apresentações, etc…

Acho que esse algo diferente, entra justamente na parte de Black Hat…então, como já falei várias vezes, sou contra fazer e aplicar no site, mas sou totalmente a favor de se saber técnicas desse naipe. Eu mesmo sei pouquíssimo sobre o assunto.

Confesso que vou ficar bastante decepcionado se eu for ouvir conceitos de sempre, os cases de sempre, os exemplos de sempre…

Os profissionais da área que forem lá, terão a chance de se mostrarem positivamente para o mercado com grandes (ou pequenas) revelações…como poderão se queimar (alguns de uma vez por todas). É muita responsabilidade participar de algo assim. Alto risco de dar certo…e de dar errado! 😀


#5 | Bruno Torres

Pablo, espero que essa discussão toda ajude no sentido de fazer com que menos palestrantes se intimidem e mais assuntos de alto nível sejam discutidos. Eu sou um eterno pessimista, portanto não acredito que vá acontecer, mas quem tem fé pode torcer 🙂


Oi Bruno, manifestei minha opinião no Fórum. vou tentar explanar por aqui. Eu ainda acho que é boa a presença, ainda mais levando em conta a sugestão do Zane.

Agora, é fato que a presença inibe sim palestrantes e participantes no ponto de vista da polidez, porém, é impossível que informações em eventos não cheguem aos ouvidos e olhos do pessoal do Google.

Portanto, ainda acho que é indiferente e já que teremos essa presença, temos que tentar extrair o melhor!

Um grande abraço cara.
Até!


Bruno,

Concordo com muito do que você disse.

Acredito que aqui no Brasil a prática de SEO é vista apenas como manipulação de resultados, e não de melhoria em páginas relevantes. Dessa forma os profissionais de Google tem em mente que precisam entender as “práticas de manipulação” para elevar o nível de qualidade das SERPs. Em eventos funcionam como espiões, não como parceiros. (muito primitivo isso, mas ainda acontece não é?)

Acho que isso não pode inibir palestras e discussões. “Quem não quer ver estrelas, não olha para o céu.”

Abs.


Olá Bruno,

Entendo o seu ponto de vista claramente e posso dizer com muita autoridade que nesse SMX Advanced o Matt Cutts respondeu todas as dúvidas levantadas. Não existiu nenhuma resposta torta, mas nenhuma das dúvidas vieram dos “grandes profissionais de SEO”.

No nosso caso, tivemos apenas 1 evento com a presença do Pedro Dias e foi um evento do Google, logo, nenhum palestrante estava intimidado.

Em termos de intimidação eu não vejo como você, acho que as pessoas chamadas para o evento, como o SearchLabs, possuem os seus temas e irão focar na melhor qualidade possível, mas quando se fala que alguém será intimidado é bom dar “nome aos bois”, pois são poucos que palestram no Brasil sobre SEO e aí generalizar acaba prejudicando o bom trabalho que alguns poucos (menos que 5) fazem em suas palestras.

O Google acrescenta uma boa direção em suas palestras lá fora sim. Eu estava na palestra que o Matt Cutts falou sobre o nofollow, mas ele não inventou o PR Sculpting, esse é o ponto. Estive em palestra de outros Googlers sobre interface nova de busca, indexação de ajax, de flash, de arquitetura de websites e ainda de review de websites como aconteceu com o próprio Matt Cutts.

O que eu acho que você ainda não enxergou no nosso mercado é que ele é muito novo, poucos tem um nível alto de conhecimento em SEO. Dá pra estimar que 90% tem um conhecimento básico e que uma palestra do Google que afete esses 90% seja muito mais relevante do que falar sobre coisas avançadas. Entende agora a idéia? Vale mais a pena focar o grupo maior do que o grupo menor.

O ponto no final é que você está pagando pra ir em um evento para ver palestrantes e não para ter uma consultoria. Você não pode exigir que todos forneçam informações de alto nível pois nem sempre teremos isso… aí é o ponto de ir em eventos certos com certos palestrantes que tem a “língua mais solta”. Mas o importante de saber é que sempre haverão as áreas de Q&A e você só terá razão se o Pedro ou algum palestrante não responder algo que você perguntar.

Uma curiosidade é que vi diversas pessoas (no tópico no forum do Google) afirmando que palestrantes são intimidados mas ninguém nunca aponta quem ou ainda se candidatam a dar uma palestra de alto nível… curioso não?

Um abraço e espero que você vá ao evento. =)


[…] vamos nós e não vamos sós. Dessa vez teve briga no SearchCast o pau comeu solto, graças ao post do nosso amigo Bruno Torres, e então eu Tiago M.S. Luz o doc, Cassiano Travareli, Fabio Ricotta entramos numa briga do bar e […]


Olá Bruno, além dessa questão da presença do pessoal do Google em enventos, vou um pouco além: o que se aprende nesses eventos?

Sobre Black Hat, concordo inteiramente com você. Para ser completo tem-se que conhecer tudo. Tem um pessoal meio puritano na área de SEO, mas o fato é que sem conhecer todos os lados, não dá pra ter uma visão geral do processo.

Sabendo como funciona o Black Hat é possível determinar como sites que não estão otimizados estão, em alguns casos, na primeria posição do Google.

O duro é saber que fizeram Black Hat e o Google não faz nada a respeito. Talvez esses eventos sirvam para mostrar diretamente a eles os sites que eles nem tomam conhecimento, mesmo estando visível o que eles mais condenam.

Forte abraço

Reinaldo


Acho que as vezes influencia positivamente, mas não é sempre. Seria apenas para selecionar os sites de interesse que queremos e suas classificações quanto a pagerank.


Acredito que não. O Google muitas vezes é cruel!


Eu acho que o objetivo é discutir técnicas e se pessoas se sentem inibidas com a presença do google, as pessoas que representam ele não deveriam participar.


«

»

Deixe seu comentário


  • Fatal error: Call to undefined function challenge_form() in /var/www/html/brunotorres.net/web/wp-content/themes/bt2008_wide/comments.php on line 65